Célula-Tronco

Célula-Tronco

Perguntas frequentes

Qual a probabilidade de uso destas células?

Apesar de problemas de medula óssea serem relativamente raros, o armazenamento das células-tronco do bebê deve ser encarado como uma precaução. Considerando apenas as atuais indicações terapêuticas, estudos demonstram que a probabilidade de um indivíduo vir a precisar de um transplante de células-tronco, na vida adulta, é de 1 em 2171. Como estes dados não refletem todo o potencial de uso das células-tronco, esta probabilidade pode aumentar substancialmente no futuro. Atualmente, existem mais de 230 estudos realizados em todo o mundo (sendo 177 deles nos Estados Unidos) para o uso de células-tronco em terapias relacionadas ao tratamento de paralisia cerebral e diabetes juvenil, entre tantas outras doenças2.

Quem pode usar as células-tronco do meu bebê?

O seu bebê será sempre 100% compatível com as próprias células-tronco para o tratamento de diversas doenças. No entanto, para doenças que tenham influência genética, a recomendação é utilizar células-tronco compatíveis e que não contenham a característica genética em questão (como as células de um irmão saudável compatível, por exemplo). Qualquer membro direto da família também poderá usar as células-tronco armazenadas de seu bebê para um transplante, desde que haja compatibilidade. Irmãos de mesmo pai e mesma mãe apresentam uma probabilidade de 25% de serem 100% compatíveis. Outros membros da família apresentem uma probabilidade de compatibilidade bem menor, quase igual a de um doador não aparentado3.

O fato de ter mais células armazenadas impacta o sucesso do tratamento?

Sim. Em caso de um transplante, ter mais células pode melhorar os resultados obtidos, incluindo uma recuperação mais rápida e menos complicações após o transplante4.

Como as células-tronco do tecido do cordão são diferentes das do sangue?

O tecido do cordão umbilical é uma fonte rica de células-tronco mesenquimais5,6,7,8,9 que dão origem a vários tecidos do nosso corpo. O sangue do cordão umbilical, por sua vez, é uma fonte rica de células-tronco hematopoiéticas, que dão origem ao sangue e ao sistema imunológico. Por causa destas diferenças funcionais, o sangue do cordão e o tecido do cordão podem ajudar o corpo humano no tratamento de diversas doenças.

O que é expansão celular?

É a técnica utilizada para aumentar o número de células-tronco através do cultivo em laboratório. Trata-se de uma área amplamente estudada atualmente, com perspectivas de ser utilizada com segurança no futuro. Espera-se que, através da expansão celular, seja possível obter células suficientes para tratar indivíduos sem limitação de peso. Hoje em dia, ainda não há em todo o mundo uma técnica consagrada expansão celular que tenha sido comprovada como segura e eficaz e consequentemente aprovada como procedimento médico/cientifico convencional10.

Por quanto tempo as células-tronco ficam armazenadas?

De acordo com as atuais publicações e os recentes estudos científicos envolvendo criopreservação de células, as células-tronco do sangue do cordão, armazenadas em condições adequadas, podem ser mantidas por tempo indeterminado. Estudos já comprovaram que células armazenadas há 23,5 anos conservaram suficientemente suas características funcionais e de viabilidade, o que poderia permitiria sua utilização em transplantes11.

O que são as células-tronco mesenquimais?

Células-tronco mesenquimais são células pouco diferenciadas que estão presentes em tecidos de diversas partes do corpo humano. Elas apresentam propriedades imunológicas únicas e têm como função regenerar e cicatrizar diferentes áreas do corpo quando necessário12,13. Elas apresentam a capacidade de se diferenciar em várias linhagens celulares (como as de cartilagens, ossos e tecidos adiposo) demonstrando, portanto, alta capacidade proliferativa e potência14,15. O cordão umbilical é uma fonte riquíssima de células-tronco mesenquimais em seu estado mais imaturo e, consequentemente, com maior potencialidade de uso16.

Onde são encontradas células-tronco mesenquimais?

As células-tronco mesenquimais podem ser encontradas em diversas fontes do corpo de um ser humano, como gordura, vasos, medula óssea, placenta e tecido do cordão umbilical17. Especula-se que as células-tronco mesenquimais encontradas no tecido do cordão umbilical exerçam a função de proteção do feto ao sistema imunológico da mãe. Uma população considerável de células-tronco mesenquimais fica presa no tecido do cordão umbilical, após o nascimento do bebê18. Inúmeros estudos têm reportado propriedades biológicas vantajosas das células mesenquimais do tecido do cordão, tais como: maior capacidade proliferativa, maior expectativa de vida celular e maior potencial de diferenciação (se comparadas com células-tronco mesenquimais adultas). Portanto, dependendo do uso terapêutico, são células que podem apresentar características ideais para serem utilizadas19,20,21.


Referências Bibliográficas:

1. Lifetime probabilities of hematopoietic stem cell transplantation in the U.S.
Nietfeld JJ, Pasquini MC, Logan BR, Verter F, Horowitz MM.
Biol Blood Marrow Transplant. 2008 Mar;14(3):316-22.

2. Non-haematological uses of cord blood stem cells.
Harris DT.
Br J Haematol. 2009 Oct;147(2):177-84. Review.

3. The probability of finding a suitable related donor for bone marrow transplantation in extended families.
Schipper RF, D'Amaro J, Oudshoorn M.
Blood. 1996 Jan 15;87(2):800-4.

4. Cord Blood: Establishing a National Hematopoietic Stem Cell Bank Program
Institute of Medicine (U.S.). Committee on Establishing a National Cord Blood Stem Cell Bank Program, Emily Ann Meyer, Kathi E. Hanna, Kristine M. Gebbie
The National Academy Press, 2005

5. Biology of stem cells in human umbilical cord stroma: in situ and in vitro surveys.
Karahuseyinoglu S, Cinar O, Kilic E, Kara F, Akay GG, Demiralp DO, Tukun A, Uckan D, Can A.
Stem Cells. 2007 Feb;25(2):319-31. Epub 2006 Oct 19.

6. Searching for alternative sources of postnatal human mesenchymal stem cells: candidate MSC-like cells from umbilical cord.
Romanov YA, Svintsitskaya VA, Smirnov VN.
Stem Cells. 2003;21(1):105-10.

7. Mesenchymal stem cells in the Wharton's jelly of the human umbilical cord.
Wang HS, Hung SC, Peng ST, Huang CC, Wei HM, Guo YJ, Fu YS, Lai MC, Chen CC.
Stem Cells. 2004;22(7):1330-7.

8. Human umbilical cord perivascular (HUCPV) cells: a source of mesenchymal progenitors.
Sarugaser R, Lickorish D, Baksh D, Hosseini MM, Davies JE.
Stem Cells. 2005 Feb;23(2):220-9.

9. Concise review: human umbilical cord stroma with regard to the source of fetus-derived stem cells.
Can A, Karahuseyinoglu S.
Stem Cells. 2007 Nov;25(11):2886-95. Epub 2007 Aug 9. Review.

10. Notch-mediated expansion of human cord blood progenitor cells capable of rapid myeloid reconstitution.
Delaney C, Heimfeld S, Brashem-Stein C, Voorhies H, Manger RL, Bernstein ID.
Nat Med. 2010 Feb;16(2):232-6. Epub 2010 Jan 17.

11. Hematopoietic stem/progenitor cells, generation of induced pluripotent stem cells, and isolation of endothelial progenitors from 21- to 23.5-year cryopreserved cord blood.
Broxmeyer HE, Lee MR, Hangoc G, Cooper S, Prasain N, Kim YJ, Mallett C, Ye Z, Witting S, Cornetta K, Cheng L, Yoder MC.
Blood. 2011 May 5;117(18):4773-7. Epub 2011 Mar 10.

12. Mesenchymal stem cells in health and disease.
Uccelli A, Moretta L, Pistoia V.
Nat Rev Immunol. 2008 Sep;8(9):726-36. Review.

13. Repair of tissues by adult stem/progenitor cells (MSCs): controversies, myths, and changing paradigms.
Prockop DJ.
Mol Ther. 2009 Jun;17(6):939-46. Epub 2009 Mar 31. Review.

14. Minimal criteria for defining multipotent mesenchymal stromal cells. The International Society for Cellular Therapy position statement.
Dominici M, Le Blanc K, Mueller I, Slaper-Cortenbach I, Marini F, Krause D, Deans R, Keating A, Prockop Dj, Horwitz E.
Cytotherapy. 2006;8(4):315-7.

15. Biology of stem cells in human umbilical cord stroma: in situ and in vitro surveys.
Karahuseyinoglu S, Cinar O, Kilic E, Kara F, Akay GG, Demiralp DO, Tukun A, Uckan D, Can A.
Stem Cells. 2007 Feb;25(2):319-31. Epub 2006 Oct 19.

16. Characterization of mesenchymal stromal cells derived from full-term umbilical cord blood.
Manca MF, Zwart I, Beo J, Palasingham R, Jen LS, Navarrete R, Girdlestone J, Navarrete CV.
Cytotherapy. 2008;10(1):54-68.

17. Multipotent mesenchymal stromal cells and the innate immune system.
Le Blanc K, Mougiakakos D.
Nat Rev Immunol. 2012 Apr 25;12(5):383-96.

18. Identification of mesenchymal stem cells in aorta-gonad-mesonephros and yolk sac of human embryos.
Wang XY, Lan Y, He WY, Zhang L, Yao HY, Hou CM, Tong Y, Liu YL, Yang G, Liu XD, Yang X, Liu B, Mao N.
Blood. 2008 Feb 15;111(4):2436-43. Epub 2007 Nov 28.

19. Wharton's jelly-derived cells are a primitive stromal cell population.
Troyer DL, Weiss ML.
Stem Cells. 2008 Mar;26(3):591-9. Epub 2007 Dec 6. Review.

20. Isolation and characterization of Oct-4+/HLA-G+ mesenchymal stem cells from human umbilical cord matrix: differentiation potential and detection of new markers.
La Rocca G, Anzalone R, Corrao S, Magno F, Loria T, Lo Iacono M, Di Stefano A, Giannuzzi P, Marasà L, Cappello F, Zummo G, Farina F.
Histochem Cell Biol. 2009 Feb;131(2):267-82. Epub 2008 Oct 3.

21. Comparative analysis of mesenchymal stem cells from bone marrow, umbilical cord blood, or adipose tissue.
Kern S, Eichler H, Stoeve J, Klüter H, Bieback K.
Stem Cells. 2006 May;24(5):1294-301. Epub 2006 Jan 12.

Tags: FAQ Perguntas Frequentes

Contato

Atendimento 24h
0800 707 2673

Grande São Paulo
11 3094-2673
11 2199-2673

Hotline de coletas 24h X 7
0800 888 2673

Rua Alvarenga 2226
Butantã - São Paulo,
SP - 05509-006

Curta a CordVida

 


Siga a CordVida

videos flat 100x100
Vídeos CordVida


accredited
Todos os processos da CordVida estão de acordo com os melhores padrões mundiais certificados pela AABB (American Association of Blood Banks)